domingo, 21 de setembro de 2014

Talita Oliveira

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

sábado, 19 de julho de 2014

Crônicas e pensamentos: Leitura e incentivo

Crônicas e pensamentos: Leitura e incentivo:   Escuto pessoas a quase todo instante dizer que não gosta de ler; apesar de ser um grande absurdo não as culpo. Na sociedade em que vivemos...

sábado, 14 de junho de 2014

NOTA DE REPÚDIO Racismo, Agressão e Mau Atendimento no Bar da Neinha, em Plataforma

NOTA DE REPÚDIO Racismo, Agressão e Mau Atendimento no Bar da Neinha, em Plataforma O Ponto de Leitura Biblioteca Abdias Nascimento, instituição existente à seis anos no Subúrbio Ferroviário de Salvador-Ba, que luta contra qualquer tipo de discriminação e preza pelos valores da Cultura Afro-brasileira e Africana. Vem por meio deste, manifestar REPÚDIO contra o BAR DA NEINHA - POINT DO CAMARÃO, localizado na rua Mabaço de Baixo, Plataforma, Salvvador-Ba. Seguem os fatos: Após realizar apresentação musical no palco do Caldeirão Cultural, na Praça São Brás, em Plataforma, no domingo dia 08 de junho de 2014, os Integrantes do Coral Afro nkorin Yorùbá (grupo formado por ex-alunos do Curso de Língua e Cultura Yoùbá da Biblioteca Abdias Nascimento) juntamente com a coordenação da instituição, se dirigiram para o BAR DA NEINHA - POINT DO CAMARÃO, local bastante frequentado por moradores locais e artistas, a fim de realizar uma confraternização. O grupo composto de 10 (dez) pessoas passou mais de vinte minutos aguardando sentados em uma mesa completamente suja e sem que nenhum funcionário prestasse atendimento. Por conta disso, uma das coordenadoras em companhia de uma educadora se dirigiu ao balcão de atendimento a fim de solicitar que um funcionário lhes atendesse. Como não havia gerência no local, foram orientadas pela atendente que conversassem com a própria dono do estabelecimento, conhecida popularmente como Neinha, que se encontrava na cozinha (um galpão, do lado contrário da rua, que antes abrigava o próprio restaurante). Enquanto aguardavam um contato com a dona do bar, foram surpreendidas com as palavras da mesma que afirmava em alto e bom tom que “NÃO GOSTA DE PRETO, PORQUE PRETO NÃO PAGA” e que se fosse o caso, que o dinheiro fosse devolvido pois este não valia para ela. O coordenador da instituição, bem como o restante do grupo foi chamado ao local e se dirigiram a ela solicitando um exclarecimento sobre o ocorrido. A senhora Neinha agiu de forma intransigente, com chacotas e ironias. Vendo o estado precário e a pouca higiene em que se encontrava a cozinha do estabelecimento, foi solicitado pelo grupo que o ALVARÁ DE FUNCIONAMENTO fosse apresentado, mas a proprietária foi enfática ao afirmar que não poderia apresentá-lo naquele momento. O grupo da Biblioteca Abdias Nascimento solicitou que a senhora Neinha repetisse as palavras racistas que tinha dito anteriormente. Bastante irritada, proferindo expressões indecorosas e em tom de ironia, a senhora Neinha falou que o grupo poderia gravar que ela repetiria o que falou. O coordenador do projeto pegou seu Iphone para gravá-la, quando a mesma proferiu ameaças e se lançou contra ele derrubando o aparelho no chão com um tapa. Por sorte o áudio da ameaça foi registrada pelo aparelho celular, que com o impacto, sofreu pequenos danos. O grupo entrou em contato com a delegacia e com a mídia local, enquanto a proprietária, mais uma vez com chacotas, afirmava que fossem mesmo entrar em contato com a polícia pois nada aconteceria com ela. A mídia local, o jornal Platacity, chegou ao local e registrou os fatos, assumindo a responsabilidade de torná-los públicos. Após duas horas de espera e sem a chegada da polícia o grupo se retirou do local pois já estava anoitecendo e o grupo temia por sua segurança. O grupo se dirigiu ao Centro Cultural Plataforma onde foram acolhidos pela coordenação e pelos artistas que manifestaram seu pesar e apoio. O Centro Cultural Plataforma colocou à disposição sua estrutura através da qual foram acionados advogados, militantes e instituições que defendem os direitos da população afro-brasileira. Em seguida, o grupo se dirigiu à 5ª Delegacia de Polícia Civil, no bairro de Periperi, onde foi registrado o boletim de ocorrência. O Ponto de Leitura Biblioteca Abdias Nascimento está entrando com ação junto ao Ministério Publico visando responsabilizar a senhora Neinha pelos fatos e por qualquer ato criminoso ou mal que possa ocorrer contra qualquer um dos membros da Biblioteca Abdias Nascimento, tendo em vista as ameaças por ela proferidas. CONTAMOS COM O APOIO DE TODOS VOCÊS PARA QUE ESTES FATOS SEJAM DIVULGADOS E ACIONADAS TODAS AS INSTITUIÇÕES, GRUPOS E MOVIMENTOS. NÃO PODEMOS DEIXAR QUE NOS DIAS ATUAIS O RACISMO AINDA ESTEJA PRESENTE EM NENHUM LUGAR E QUE FATOS COMO ESSE NÃO POSSAM OCORRER NUM LOCAL COMO O SUBÚRBIO FERROVIÁRIO DE SALVADOR-BA QUE É UMA REGIÃO DE POPULAÇÃO MAJORITARIAMENTE NEGRA QUE MANTÉM E TRABALHA NESTES Fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=645450115540580&set=a.384513464967581.94014.100002267931742&type=1&theater

Hackers ANNONYMUS Convoca reforço para Março/2012

BRASIL

Fala Sério!

IPR

Pandemia - Gripe Suina - Saiba a VERDADE!

Que esconderam de nós.

Informação é para ser compartilhada!